Quinta-feira, 28 de Outubro de 2010

(Fotografia de autor desconhecido)

 

Apostamos tudo. Não sabemos porquê. Não temos um bom jogo, temos a certeza disso. Talvez nem tenhamos um jogo razoável. Não conseguimos fazer bluff, nunca conseguimos, nunca tivemos jeito para tal arte. Também não temos uma excepcional autoconfiança. Mas apostamos tudo, olhamos uma última vez para a nossa mão e colocamos todas as fichas na mesa. Entregamo-nos à sorte, sabendo que a vitória nos aliviará e a derrota nos empurrará para o desespero. Mas não agimos já sob esse desespero quando decidimos apostar tudo o que temos?



publicado por r. às 09:18 | ligação | comentar

mais sobre mim

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27
28


passado recente

O fim

Os dias do fim (5)

Os dias do fim (4)

Os dias do fim (3)

Os dias do fim (2)

Os dias do fim (1)

A ausência de luz

O controlo

Erro de casting

A memória

passado distante

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

ligações
RSS