Terça-feira, 2 de Novembro de 2010

(Imagem de autor desconhecido)

 

Não é necessário que alguém tenha um papel muito importante na nossa vida para que dela faça parte. É um pouco como nos filmes: há os protagonistas, há os actores secundários, há os pequenos papéis de circunstância, e há os figurantes. Estes são numerosos e silenciosos; na maior parte do tempo, nem damos por eles. Mas estão lá. Fazem parte da amálgama vagamente caótica que constitui a nossa vida. E, à sua maneira discreta, têm importância. Percebemos isso no momento em que mudamos de cena e deles nos despedimos, rumo ao desconhecido.



publicado por r. às 09:16 | ligação | comentar

mais sobre mim

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27
28


passado recente

O fim

Os dias do fim (5)

Os dias do fim (4)

Os dias do fim (3)

Os dias do fim (2)

Os dias do fim (1)

A ausência de luz

O controlo

Erro de casting

A memória

passado distante

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

ligações
RSS