Terça-feira, 18 de Janeiro de 2011

("Untitled-3"; fotografia de Steve Poxson, no flickr. Todos os direitos reservados)

 

É difícil conviver diariamente com alguém que, fossem outras as circunstâncias, não olharia para nós duas vezes. É difícil passar todos os dias inúmeras horas com alguém que não nos conhece, e que por sua vontade não nos teria em momento algum conhecido. É difícil pensar que, um dia, os nossos passos seguirão caminhos diferentes, e que aquela pessoa que tanto tempo passou connosco não se irá lembrar de nós quando a nossa sombra desaparecer na curva do caminho.



publicado por r. às 09:11 | ligação | comentar

4 comentários:
De http://storm-of-life.blogs.sapo.pt a 18 de Janeiro de 2011 às 11:42
E porquê então isso acontece? Não é de todo nada agradavel.


De r. a 18 de Janeiro de 2011 às 20:56
Porque, para o bem e para o mal, nem sempre podemos escolher as pessoas que fazem parte da nossa vida.


De http://storm-of-life.blogs.sapo.pt a 18 de Janeiro de 2011 às 21:41
Isso é verdade...


De r. a 18 de Janeiro de 2011 às 22:13
E inevitável. Mas a alternativa seria pior.


Comentar post

mais sobre mim

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27
28


passado recente

O fim

Os dias do fim (5)

Os dias do fim (4)

Os dias do fim (3)

Os dias do fim (2)

Os dias do fim (1)

A ausência de luz

O controlo

Erro de casting

A memória

passado distante

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

ligações
RSS