Sexta-feira, 28 de Janeiro de 2011

(Fotograma de Pulp Fiction (1994), filme de Quentin Tarantino)

 

Há uma cena famosa no filme Pulp Fiction, de Tarantino (já aludi a ela aqui), na qual Mia e Vincent estão por um momento calados, à mesa de um restaurante. Mia quebra o silêncio ao falar justamente do silêncio desconfortável. Diz ela que o silêncio desconfortável é a forma de se descobrir que se encontrou alguém especial: quando duas pessoas podem simplesmente apreciar o silêncio juntas. É verdade que, por vezes, o silêncio entre duas pessoas é ensurdecedor, e a sua presença tão desconfortável fala - grita, até - por todos os sentimentos que não encontram palavras para se exprimirem. Mas o silêncio desconfortável também pode por vezes ser o inverso, e ser apenas isso: um silêncio desconfortável, que não fala de sentimentos, que não encerra significados. É apenas silêncio, e limita-se a ser tudo o que há entre duas pessoas que poruma qualquer circunstância estão juntas, mas que nada têm a dizer uma à outra.



publicado por r. às 09:26 | ligação | comentar

mais sobre mim

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27
28


passado recente

O fim

Os dias do fim (5)

Os dias do fim (4)

Os dias do fim (3)

Os dias do fim (2)

Os dias do fim (1)

A ausência de luz

O controlo

Erro de casting

A memória

passado distante

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

ligações
RSS