Quarta-feira, 2 de Fevereiro de 2011

("The Lost Beauty"; fotografia de Lamtom, no flickr. Todos os direitos reservados)

 

Há tanta coisa no mundo que não resiste ao segundo olhar. Ao olhar mais próximo, atento. Quando as vemos pela primeira vez, e elas agarram o nosso olhar, parecem sublimes, qual marca de perfeição no mundo desolado onde estamos condenados a caminhar. Mas tais visões não duram; desviamos o olhar, e quando tornamos a encará-las, damos por nós a pensar: não era assim que me lembrava; falta algo; alguma beleza desapareceu. Sentimos algum desapontamento. Não conseguimos compreender como é que uma coisa tão outrora tão impressionante perdeu o encanto quase por completo. Mas essa é a natureza do segundo olhar: ele mostra-nos muitas vezes a realidade como ela é de facto, enquanto o primeiro olhar mostra-nos a realidade como nós gostaríamos que ela fosse.



publicado por r. às 09:28 | ligação | comentar

mais sobre mim

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27
28


passado recente

O fim

Os dias do fim (5)

Os dias do fim (4)

Os dias do fim (3)

Os dias do fim (2)

Os dias do fim (1)

A ausência de luz

O controlo

Erro de casting

A memória

passado distante

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

ligações
RSS