Segunda-feira, 31 de Maio de 2010

(Fotografia de autor desconhecido)

 

Há pessoas que entram na nossa vida de surpresa, da forma mais inesperada. Foste um desses casos - a coincidência levou-te a abrir a porta e a entrar. Enquanto dela fizeste parte, gostei muito da companhia. Mais do que esperava vir a gostar. Não sei se algum dia percebeste, ou sequer suspeitaste a dimensão dos meus sentimentos por ti. Nunca te disse nada nesse sentido; sabia que o sentimento não era recíproco. E sabia que, a prazo, acabarias por sair da minha vida da mesma forma que nela tinhas entrado. Não me enganei em nenhum daqueles pensamentos, ainda que a forma que a saída tomou tenha sido algo inesperada. Hoje, por motivo nenhum em particular, lembrei-me de ti. Pensei em dizer-te algo. Um simples "olá". Não o fiz. Duvido que o volte a fazer. Há coisas que têm forçosamente de ser esquecidas. E entre eu e tu existe um oceano inteiro.



publicado por r. às 09:02 | ligação

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27
28


passado recente

O fim

Os dias do fim (5)

Os dias do fim (4)

Os dias do fim (3)

Os dias do fim (2)

Os dias do fim (1)

A ausência de luz

O controlo

Erro de casting

A memória

passado distante

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

ligações
RSS