Sábado, 27 de Fevereiro de 2010

(Imagem de autor desconhecido)

 

Há dias assim, sabes? Acordamos ao som do vento, violento, nas árvores lá fora, e também nós somos incapazes de conter a fúria. Por nenhum motivo. Há apenas dias de tempestade. Dias em que o ideal é estarmos sozinhos, deixarmos o vento soprar e a chuva cair, até a tempestade se consumir a si mesma e se desvanecer. Há dias em que não podemos estar sozinhos. Há dias em que nem todas as árvores sobrevivem ao vendaval.



publicado por r. às 12:30 | ligação

Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




mais sobre mim

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27
28


passado recente

O fim

Os dias do fim (5)

Os dias do fim (4)

Os dias do fim (3)

Os dias do fim (2)

Os dias do fim (1)

A ausência de luz

O controlo

Erro de casting

A memória

passado distante

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

ligações
RSS