Quarta-feira, 5 de Janeiro de 2011

("Wye Crown Bonfire - Shadows"; fotografia de Ann Sutherland, no blogue Wyeweb.org. Todos os direitos reservados)

 

Dos fogos de Verão sobrou uma página. Uma única página, de centenas. Li-a quando a apanhei do chão coberto de cinzas. Palavras nela escritas, amargas, vazias de esperança, cheias de raiva e de frustração. Foram escritas por ambos, nos dias que antecederam o fim. Sabíamos o desastre iminente; nenhum de nós fingia o contrário. Falámos do fim como inevitável, abertamente, tal como o assumimos. A menos que... É frequente existir uma condicionante, uma adversativa que traga alguma luz à réstia de esperança que possa ainda existir. Mas quando aquela página foi escrita, a nossa adversativa terminava num ponto final - e nas chamas do incêndio dançava a única luz que sobreviveu ao desastre.

 

Dessa luz, éramos apenas sombras. E as sombras extinguem-se quando a luz desaparece.



publicado por r. às 09:28 | ligação | comentar

mais sobre mim

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9



27
28


passado recente

O fim

Os dias do fim (5)

Os dias do fim (4)

Os dias do fim (3)

Os dias do fim (2)

Os dias do fim (1)

A ausência de luz

O controlo

Erro de casting

A memória

passado distante

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

ligações
RSS